Atuais estudantes de Licenciatura e Mestrado

De 16.05.2016 a 30.06.2016

Com o objetivo de melhorar continuamente o serviço prestado, iremos em breve lançar uma nova versão da aplicação móvel MyUE, disponível acerca de um ano para os alunos da Universidade de Évora. Nesse sentido, pedíamos que dispensassem uns minutos do V/tempo para responderem a um breve inquérito tendo em vista a avaliação da atual versão bem como a recolha de propostas de melhoria a introduzir.

Maria Fernanda Atayde, aluna de Medicina Veterinária da UÉ alcançou a Medalha de Ouro no Concurso de Saltos, Medalha de Ouro no Concurso Combinado e Medalha de Prata no Concurso de Ensino no Campeonato Nacional Universitário de Equitação que decorreu de 30 de abril a 01 de maio nas instalações da Unidade de Segurança e Honras de Estado (antigo 4º esquadrão da GNR), na Ajuda, Lisboa.

A Universidade de Évora acomodará uma sessão de exames Cambridge English: First Certificate. Este teste, elaborado pelo Cambridge English Language Assessment, da Universidade de Cambridge, permite a obtenção de uma certificação de proficiência linguística nível B2 do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas (QECR) - Inscrições/matrículas até 6 de maio

Em 25.06.2016

A Newsletter, editada trimestralmente, pretende contribuir para divulgação da informação académica de forma explícita e sintetizada.

Apresentação

Nome: SAF Andebol
Código: DES0387
1 ECTS
Duração: 15 semanas/26 horas
Área Científica: Actividade Física Humana

Objectivos

Informação disponível do ano letivo 2014/2015

A grande maioria dos estudantes da licenciatura em Ciências do Desporto possuem apenas um conhecimento parcial da modalidade, quer em termos teóricos, quer práticos.

Como tal, o grande objectivo desta disciplina, será dotar os estudantes de conhecimentos aprofundados da modalidade.

Os Objectivos da disciplina são:

  • Conhecimento da caracterização e evolução da modalidade;
  • Domínio da terminologia e simbologia da modalidade;
  • Conhecimento das regras de jogo;
  • Conhecimento das fases do domínio do jogo;
  • Conhecimento e domínio das fases e princípios do jogo de andebol;
  • Domínio dos elementos técnicos de base do andebol
  • Domínio das ações básicas de táctica de grupo e colectivas;

Conhecimento dos conteúdos programáticos do andebol que constam nos programas oficiais de Ed. Física.

Programa

Informação disponível do ano letivo 2014/2015

I - Caracterização e evolução da modalidade.

II - Simbologia e postos específicos.

III - Regras do Jogo                               Regra 1 - Terreno de Jogo

Regra 2 - Tempo de Jogo, Sinal Final e Time-out

Regra 3 - A Bola

Regra 4 - A Equipa, Substituições, Equipamento

Regra 5 - O Guarda Redes

Regra 6 - A Área de Baliza

Regra 7 - Jogar a Bola, Jogo Passivo

Regra 8 ´- Faltas e Conduta Antidesportiva

Regra 9 - Golo

Regra 10 - Lançamento de Saída

Regra 11 - Lançamento de Reposição em Jogo

Regra 12 - Lançamento de Baliza

Regra 13 - Lançamento Livre

Regra 14 - Lançamento de 7 metros

Regra 15 - Inst. Gerais para a Execução de Lançamentos

Regra 16 - Sanções

Regra 17 - Os Árbitros

Regra 18 - O Secretário e o Cronometrista

IV - Fases do domínio de jogo

Jogo anárquico

Jogo descentrado

Jogo estruturado

Jogo elaborado

V - Princípios do Jogo

Ataque: - Ataque à baliza

                                    - conservação da posse de bola e continuidade das ações ofensivas

                       - progressão para a baliza, atacando o espaço e criando superioridade numérica

                       - amplitude do ataque mantendo postos específicos

                       - ataque em profundidade

Defesa: - Proteção da baliza

                       - recuperação da posse de bola

                       - não permitir progressão adversária

                       - equilíbrio largura/profundidade

                       - interrupção das ações ofensivas adversárias

VI - Fases de jogo

Ataque: - Recuperação da posse de bola

                       - transposição defesa/ataque (Contra-ataque)

                       - ataque organizado

                       - finalização

Defesa: - Recuperação defensiva

                       - zona temporária

                       - defesa organizada

VII - Elementos técnicos  / Gestos técnicos

                                    - Pos. Base defensiva e ofensiva

                                    - Pega da bola

                                    - Recepção

                                    - Passes

                                    - Remates

                                    - Drible

                                    - Finta / Simulação / Mudança de direção

                                    - Bloco

VIII - Estruturas tácticas de base

                  Estruturas tácticas ofensivas de grupo:                 - Cruzamentos

                                                                                                                              - Bloqueios

                                                                                                                              - Passe e entra

                  Estruturas tácticas defensivas de grupo:- Troca

                                                                                                                              - Deslizamento

                                                                                                                              - Contra-bloqueio

                  Estruturas tácticas ofensivas colectivas:              - Ataques: 5:1, 3:3 e 4:2

                  Estruturas tácticas defensivas colectivas:           - Defesas HxH; 6:0; 5:1;

     4:2; 3:3 e 3:2:1.

                                                                                                                              - Defesas Mistas: 5+1 e 4+2

 

IX - Apresentação dos programas curriculares de andebol para o 2º,3º ciclos e ensino Secundário. 

Bibliografia

Informação disponível do ano letivo 2014/2015

Manuais:

Anton, J.L.(1990) Balonmano - Fundamentos y Etapas de Aprendizaje. Editorial Gymnos, Madrid.

Bayer, C. (1994) O Ensino dos Desportos Colectivos. Dinalivro, Lisboa.

Cardoso, A. (2000) Modelo de Jogo para o Ataque. In: Andebol Top - Revista técnica de Andebol, nº 2, Jan./Fev./Março. Lisboa, p. 3-11.

Ribeiro, M. & Volossovitch, A. (2008). Andebol 2. O ensino do Andebol dos 11 aos.14 anos. Lisboa. Edições FMH.

Ribeiro, M. (2000) Exercícios para o Aperfeiçoamento do Contra-Ataque. In: Andebol Top - Revista técnica de Andebol, nº 2, Jan./Fev./Março. Lisboa, p. 43-46.

Ribeiro, M. ( 2000) O Ensino do Andebol na Escola  - Caderno Técnico nº 3 . In: Andebol Top - Revista técnica de Andebol, números 3,4,5 e 6. Lisboa.

Sítios:

Regras de jogo (2012), http://www.fpa.pt/

Métodos de Avaliação

Informação disponível do ano letivo 2014/2015

A avaliação dos alunos será feita através de dois processos:

 

AVALIAÇÃO CONTÍNUA

De acordo com o Regulamento Escolar Interno e com as diretrizes seguidas pelo Proto-Departamento de Desporto e Saúde, só poderão estar incluídos no processo de avaliação continua os alunos que obtiverem 75% de presenças efetivas e participativas, das aulas teórico-práticas leccionadas.  A única exceção será feita aos alunos com o estatuto de trabalhadores-estudantes.

O aluno que tenha obtido aproveitamento em ano curricular anterior à componente prática da UC, pode pedir dispensa da frequência das aulas teórico-práticas, e manter a classificação obtida.

Para que o aluno tenha a possibilidade de seguir o processo de avaliação continua, além da percentagem mínima de presenças, deverá ainda cumprir com dois requisitos adicionais:

1. Ter avaliação positiva (nota superior ou igual a 9.5 valores) na componente prática;

2. Ter avaliação positiva (nota superior ou igual a 9.5 valores) na componente teórica.

 

A Classificação Prática tem em consideração os seguintes itens:

 

a)     Nível de desempenho motor na realização das tarefas propostas; (70%)

b)     Atitude e empenho face às tarefas propostas; (30%)

 

O aluno deverá ter classificação positiva (nota superior ou igual a 9,5 valores)

 

A Classificação Teórica refere-se às classificações obtidas no teste (frequência) e trabalho escrito realizado.

A média final (nota da frequência- 70% + nota de trabalho – 30%) tem de ser superior ou igual a 9,5 valores. Fica excluído do processo de avaliação contínua, todo o aluno que na frequência tenha uma nota inferior a 7 (sete valores).

 

Na atribuição da Nota Final aos alunos, teremos em atenção as seguintes ponderações:

Prática- 65% (prática realizada-70% + atitude e empenho -30%)

Teórica – 35% (frequência – 70% + trabalho/relatório – 30%)

 

 

O PROCESSO DE AVALIAÇÃO FINAL

Os alunos que obtiverem uma classificação inferior a 9.5 valores de nota final, participando em todos os momentos de avaliação continua e tendo cumprido o regime presencial obrigatório, apenas poderão realizar exame final de recurso.

Serão admitidos a exame de recurso os alunos que obtiverem nota inferior a 9.5 valores na componente teórico-prática.

Será dispensado de exame final, o aluno que obtiver média (de todos os momentos de avaliação), igual ou superior a 9.5 valores.

O processo de avaliação final compreende uma avaliação final teórica (consta de um exame escrito sobre a unidade de matéria abordada ao longo do ano lectivo) e uma avaliação final prática (consta de um exame prático e/ou um exame final oral, sobre toda a matéria abordada no bloco de andebol).

 

Na atribuição da Nota Final aos alunos, será aplicada a seguinte fórmula:

 

 

Nota Final = (Nota Prática + Nota Teórica)

                                                                                                      2

 

Todas as alterações à forma inicial de avaliação estipulada neste programa deverão ser transcritas para o sumário da aula em que tal ocorra, o qual deverá ser assinado pela totalidade dos alunos presentes.

Avaliação dos Trabalhadores/Estudantes

Cada aluno com estatuto de Trabalhador/Estudante terá de:

1      Realizar as tarefas de avaliação práticas estabelecidas. Nomeadamente os alunos deverão comparecer em todos os momentos de avaliação formal.

2      Realizar as tarefas teóricas estabelecidas:

Realizar a frequência e trabalho escrito.

A média final (nota da frequência- 70% + nota de trabalho – 30%) tem de ser superior ou igual a 9,5 valores. Fica excluído do processo de avaliação contínua, todo o aluno que na frequência tenha uma nota inferior a 7 (sete valores).

Na atribuição da Nota Final aos alunos será aplicada a fórmula apresentada anteriormente para os alunos não abrangidos pela situação de trabalhadores estudantes.

Serviço Docente

Informação disponível do ano lectivo 2015/2016
Ciências do Desporto (cód: 192)
semestre docente
Ímpar Nuno Miguel Prazeres Batalha (responsável)

Informação Académica

Neste ponto é disponibilizada toda a informação relacionada com o percurso académico dos alunos da Universidade de Évora. Constitui uma forma rápida e simplificada de aceder a informação sobre candidaturas, matrículas e inscrições, propinas, taxas e emolumentos, regulamentos, calendário escolar, provas públicas, certificação e suplemento ao diploma, prémios e bolsas e ainda obter diversos tipos de formulários.

Guias

Com o objetivo de auxiliar o estudante, são aqui disponibilizados diversos Guias de apoio aos diversos procedimentos académicos

Matrículas e Inscrições

A disponibilizar brevemente.

Unidades Extracurriculares

Os alunos da Universidade poderão ser autorizados a inscrever-se em unidades extracurriculares fora do plano de estudos em que se encontram formalmente inscritos e os créditos obtidos serão considerados no Suplemento ao Diploma, de acordo com a legislação em vigor.

Propinas

Nos termos do Regulamento de Propinas  em vigor, o valor das propinas é independente do número do número de unidades curriculares em que o estudante se encontre inscrito e do número de ECTS obtido em creditação. O montante de propinas a pagar por curso, pela inscrição em tese, dissertação/trabalho projeto ou estágio (D/T/E ou em unidades curriculares no ano letivo 2016/2017, será definida no Despacho de Fixação de Propinas de 2016/2017 constando nos editais dos cursos de formação pós-graduada (3º e 2º ciclo e Pós-Graduações) a propina do respetivo curso em 2016/17.

   

Quais os prazos de pagamento de propinas?

Pode efetuar o pagamento das propinas nos seguintes prazos:

  • Na totalidade no período da 1.ª prestação (com um desconto de 10%, desde que não usufrua de qualquer regime especial de propinas)
  • Em 6 prestações:
    • 1.ª prestação até 30 de Setembro de 2016
    • 2.ª prestação até 30 de Novembro de 2016
    • 3.ª prestação até 31 de Janeiro de 2017
    • 4.ª prestação até 31 de Março de 2017
    • 5.ª prestação até 30 de Abril de 2017
    • 6.ª prestação até 31 de Maio de 2017

   

Como pode efetuar o pagamento das propinas?

O pagamento deve ser efetuado utilizando a rede de Caixas Automáticas Multibanco, podendo ser presencialmente na tesouraria sita nos Serviços Académicos, ou processo equivalente através do Homebanking/Internet .

Excetua-se o caso de estudantes estrangeiros residentes em Portugal, que podem efetuar o pagamento em numerário na Tesouraria sita nos Serviços Académicos e os estudantes residentes fora de Portugal que o poderão efetuar por transferência bancária, sendo obrigatório o envio do comprovativo da transferência para a Tesouraria. Em casos de impedimento de pagamento eletrónico, são aceites pagamentos por cheque.

A informação necessária para proceder ao respetivo pagamento, está disponível no SIIUE.

A referência para pagamento das propinas, está disponível no seu perfil de aluno no SIIUE , podendo consultar o Guia de Valores em Pagamento  para mais informações.

   

É possível efetuar o pagamento de propinas fora dos prazos estabelecidos?

Sim. Desde que o pagamento seja efetuado até 15 de julho do ano letivo a que o incumprimento se reporta, o valor de propina em dívida será acrescido dos juros de mora à taxa legal após o término do prazo de pagamento. Após esse prazo será sujeito às penalizações previstas no Regulamento de Propinas em vigor na Universidade de Évora.

O pagamento de cada prestação só poderá ser efetuado após pagamento das prestações antecedentes.

A regularização da propina em divida, de anos letivos anteriores, é acrescida dos juros de mora de acordo com a taxa em vigor, podendo o montante em dívida ser pago na totalidade ou de forma faseada devendo o estudante, neste caso, aderir ao plano de pagamento faseado de propinas em dívida na tesouraria sita nos Serviços Académicos

   

Quais as penalizações no caso de não efetuar o pagamento das propinas?

O incumprimento do pagamento da propina devida no ano letivo, nos montantes e nos prazos estabelecidos, implica:

  • A nulidade de todos os atos curriculares praticados no ano letivo a que o incumprimento da obrigação se reporta;
  • A suspensão da matrícula e da inscrição anual, com a privação do direito de acesso aos apoios sociais até à regularização dos débitos, acrescidos dos respetivos juros, no mesmo ano letivo em que incorreu o incumprimento da obrigação.
    • A suspensão da matrícula e da inscrição acarreta:
    • A não aceitação de qualquer inscrição ou de qualquer avaliação, constantes dos calendários escolares;
    • A interdição de acesso à plataforma de e-learning  (Moodle) e ao registo académico do estudante no SIIUE;
    • A não emissão de qualquer diploma ou certidão de conclusão, ou qualquer outro documento informativo sobre o percurso académico do estudante, relativamente ao ano letivo a que se reporta a dívida, nomeadamente certificado de habilitações, aproveitamento escolar ou termo de creditação;

     

Quem pode beneficiar de regimes especiais de propinas?

A Universidade de Évora, no Regulamento de Propinas consagra os regimes especiais de propinas, para os estudantes matriculados e inscritos num curso da Universidade de Évora, que reúnam as condições e proceda à entrega da documentação exigível na regulamentação.

No Guia de Regimes Especiais de Propinas , poderá consultar a descrição, as condições e a documentação exigidas para poder usufruir de um dos seguintes regimes:

  • Antigos Combatentes
  • Bolseiro de outra Instituição – Bolsa paga ao aluno
  • Bolseiros de outras instituições – Bolsa paga diretamente à UE
  • Deficientes das forças armadas
  • Estudante a tempo parcial
  • Funcionário da Universidade de Évora 
  • Professor Cooperante
  • Propina Mínima
  • Propina paga por outra instituição mediante fatura da UE
  • Protocolo com outras instituições

   

Como obter o regime especial de propina?

O reconhecimento do direito a um regime especial de propina depende de requerimento anual do estudante, devendo o pedido ser efetuado nos prazos e no ato de matrícula ou de inscrição  on-line . A documentação necessária para obtenção do regime, poderá ser introduzida no seu perfil de aluno, conforme explicado no Guia de regimes especiais de propinas.

Será notificado pelos Serviços Académicos se o regime lhe foi atribuído, sendo neste caso disponibilizado nesta data, o respetivo valor de propina do regime especial, ou em caso de não reunir as condições ou não ter entregue a documentação necessária será notificado do indeferimento, sendo-lhe disponibilizado o valor de propina de regime normal no seu perfil de aluno no SIIUE.

   

Se não efetuar o pedido do regime especial no ato de matrícula ou inscrição, como poderá fazê-lo posteriormente?

Até  31 de outubro de 2016, poderá através do GESDOC  requerer o regime especial de propina pretendido, devendo anexar a documentação necessária para a sua obtenção.

   

A INSTITUIÇÃO PATRONAL DO ESTUDANTE IRÁ EFETUAR AO PAGAMENTO DA PROPINA. ASSIM SENDO, COMO DEVE O ESTUDANTE PROCEDER?

O estudante deverá registar no ato da matricula que pretende que o regime “Propina paga por outra instituição mediante fatura da UE“, devendo anexar declaração da Entidade Patronal em como se compromete a pagar o respetivo valor de propina ou submeter através de GESDOC até 31 de outubro de 2016, podendo também proceder à entrega na sala/1 nos SAC.

   

O ESTUDANTE PERTENCE A UMA INSTITUIÇÃO QUE ESTABELECEU PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO COM UNIVERSIDADE DE ÉVORA. NESTE CASO, COMO PODERÁ O ESTUDANTE BENEFICIAR DESSE PROTOCOLO?

O estudante no ato da matricula /inscrição deverá submeter pedido de regime especial de propina, ou remeter por GESDOC, até 31 de outubro de cada ano letivo, a solicitar isenção/redução de propina ao abrigo do protocolo, devendo anexar o respetivo protocolo e comprovativo que pertence à respetiva instituição.

   

SENDO CANDIDATO A BOLSA DE UMA OUTRA INSTITUIÇÃO, COMO DEVE O ESTUDANTE PROCEDER PARA NÃO SER PENALIZADO PELO NÃO PAGAMENTO DE PROPINAS ATÉ DELIBERAÇÃO DO RESULTADO DA CANDIDATURA À BOLSA?

O estudante no ato da matricula/inscrição, deverá pedir o regime especial de Bolseiro de Outra Instituição, ou remeter por GESDOC até 31 de outubro, comprovativo da candidatura a bolsa que efetuou. O estudante deverá entregar, pelas mesmas vias, a deliberação do resultado da candidatura à bolsa, no prazo máximo de 30 dias após a notificação da mesma.

     

SENDO ESTUDANTE BOLSEIRO DE OUTRA INSTITUIÇÃO, EM QUE A BOLSA É PAGA DIRETAMENTE À U. ÉVORA, O ESTUDANTE TEM DE EFETUAR ALGUM PROCEDIMENTO?

Sim. No ato da matrícula/inscrição deverá pedir o regime especial de Bolseiro de Outra Instituição, ou enviar por GESDOC, declaração da entidade bolseira, que comprove a atribuição de bolsa

     

No caso de candidato a bolsa, quais as penalizações pelo não pagamento de propinas até obtenção da deliberação à candidatura?

A todos os candidatos a bolsa não são aplicáveis as penalizações estabelecidas, até ser proferida a decisão sobre a candidatura, devendo os estudantes bolseiros de outras instituições, entregar nos Serviços Académicos – Sala 1 ou enviar por requerimento através de GESDOC, o comprovativo dessa decisão, no prazo de 30 dias após a deliberação.

No caso de estudantes candidatos a bolseiros ou bolseiros dos Serviços de Ação Social da Universidade de Évora ou do FASE-UE, não é necessário a apresentação de comprovativo de candidatura a bolsa, do seu deferimento ou indeferimento.

   

Se a candidatura a bolsa for indeferida/recusada, quais as penalizações?

Os estudantes a quem for indeferida a concessão da bolsa, tem 30 dias após a data da notificação do indeferimento para entregar comprovativo do indeferimento da bolsa, podendo neste prazo:

  • Liquidar a divida das prestações vencidas sem pagamento da taxa de juro ou
  • Requerer a anulação da matrícula e inscrições, ficando isento do pagamento das prestações vencidas e vincendas de propina, sendo consideradas sem efeito todas as aprovações em unidades curriculares e creditações obtidas.

Após os 30 dias da notificação do indeferimento, os estudantes serão considerados devedores de propinas.

Creditação

Para efeitos do disposto na Ordem de Serviço nº14/2014  entende-se por:

"Creditação de formação ", a creditação atribuída à:

a) formação realizada no âmbito do sistema de ensino superior português ou estrangeiro (formação académica), em:

  • Ciclos de estudo
  • Cursos não conferentes de grau
  • Cursos de Especilização Tecnológica
  • Unidades curriculares isoladas

b)   Outras formações realizadas fora do âmbito do ensino superior

"Creditação de experiência profissional ", a creditação atribuída pela experiência desempenho profissional ou científica.

A creditação traduz-se na atribuição e ECTS para efeitos de frequência de um curso e obtenção do correspondente grau na Universidade de Évora. No caso de mudanças de curso ou transferências e de anulação de matrícula a crediatção obtida é inválida.

Dissertações de Mestrado/Mestrado Integrado

O ciclo de estudos conducente ao grau de mestre contempla para além da parte curricular do mestrado, denominada curso de mestrado, uma dissertação de natureza científica ou um trabalho projeto, originais e especialmente realizados para este fim, podendo ainda consistir num estágio de natureza profissional objeto de relatório final. A possibilidade de elaboração de dissertação, estágio ou trabalho projeto está definido no plano de estudos do respetivo Mestrado.

Prática de Ensino Supervisionada

Os alunos de cursos de 2.º Ciclo - Mestrados que conferem habilitação profissional para a docência na Educação Pré-Escolar e nos Ensinos Básico e Secundário, têm de realizar a Prática de Ensino Supervisionada.

A Prática de Ensino Supervisionada  (PES) constitui-se como uma componente de formação integradora da formação educacional geral, das didácticas específicas, da formação cultural, social e ética, da formação em metodologias de investigação educacional e da formação na área da docência, que visa o desenvolvimento pessoal e profissional do futuro/a docente, através da iniciação da prática profissional num determinado domínio de habilitação para a docência. 

Teses de Doutoramento

Para obtenção do grau de doutor, todos os estudantes têm de ter aprovação nas provas públicas de defesa da uma tese original e especialmente elaborada para este fim, adequada à natureza do ramo de conhecimento ou da especialidade.

Em alternativa, em condições de exigência equivalentes e tendo igualmente em consideração a natureza do ramo de conhecimento ou da especialidade, a tese pode assumir o formato de:

  • Compilação, devidamente enquadrada, de um conjunto coerente e relevante de trabalhos de investigação já objeto de publicação em revistas com comités de seleção de reconhecido mérito internacional, realizados no contexto do ciclo de estudos conducente ao grau de doutor.
  • No domínio das artes, por uma obra ou conjunto de obras ou realizações com carácter inovador, realizados no contexto do ciclo de estudos conducente ao grau de doutor, acompanhada de fundamentação escrita que explicite o processo de conceção e elaboração, demonstre a capacidade de investigação, e o seu enquadramento na evolução do conhecimento no domínio em que se insere.

Provas de Agregação

De acordo com a Circular n.º 2/2009  , até serem aprovados novos regulamentos em conformidade com a nova orgânica da Universidade de Évora, os procedimentos académicos da provas de Doutoramento pautam-se pelo MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA AS PROVAS DE AGREGAÇÃO

Minuta de Requerimento de Admissão a Provas de Agregação

Legislação

Bolsas e Prémios

A Universidade de Évora procura incentivar e valorizar o mérito e a excelência dos seus alunos, atribuindo anualmente diversas bolsas e prémios aos alunos que se distinguem no seu aproveitamento.

Certificação

Todos os pedidos,  quando devidamente instruídos, poderão ser digitalizados (formato PDF preferencialmente) e enviados por e-mail para atendimento@sac.uevora.pt  

Quando houver lugar a algum pagamento, será disponibilizada no SIIUE , na sequência do pedido, uma referência para que seja possível o pagamento por MultiBanco / Homebanking  

   

Como fazer o pagamento? 

  • Todos os alunos com pagamentos a fazer deverão aceder ao SIIUE / Menu Aluno / Valores em Pagamento para obter a Referência para Pagamento no MB / Homebanking

Após o pagamento o aluno deverá remeter, pela mesma via, o comprovativo de pagamento para que seja dado seguimento imediato ao pedido

NOTA: NÃO É PERMITIDO O PAGAMENTO POR VALE DE CORREIO OU TRANSFERÊNCIA BANCÁRIA

   

Documentos Emitidos

Reconhecimento de Graus Académicos Superiores Estrangeiros

Em Portugal, a matéria respeitante ao reconhecimento académico de qualificações estrangeiras de nível superior está regulamentada em dois diplomas legais e prevê três regimes de reconhecimento:

1) O registo de diploma é um regime de reconhecimento de graus académicos estrangeiros de nível, objetivos e natureza idênticos aos dos graus de licenciado, mestre e doutor atribuídos por Instituições de Ensino Superior portuguesas, conferindo aos seus titulares todos os direitos inerentes a estes graus académicos. Este regime de reconhecimento encontra-se regulamentado ao abrigo do Decreto-Lei n.º 341/2007, de 12 de outubro.

2) A equivalência encontra-se regulamentada ao abrigo do Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de junho e é um processo pelo qual uma qualificação académica estrangeira é comparada a uma qualificação portuguesa, relativamente ao nível, duração e conteúdo programático, sendo também fixada a área científica da equivalência concedida.

3) O reconhecimento é um processo pelo qual uma qualificação académica estrangeira é comparada a uma qualificação portuguesa apenas em nível e encontra-se regulamentado pelo Decreto-Lei n.º 283/83, de 21 de junho.

Os pedidos deverão ser apresentados nos Serviços Académicos da Universidade de Évora. Para qualquer dúvida ou esclarecimento contacte-nos através do seguinte endereço de email: atendimento@sac.uevora.pt

Caso necessite de apoio poderá, ainda, contactar o Centro ENIC/NARIC Portugal (National Academic Recognition Information Centre ). Este centro de informação (integra a Rede ENIC/NARIC constituída por centros dos Estados da União Europeia, membros do Conselho da Europa e da UNESCO) é especialmente vocacionado para dar resposta a questões sobre reconhecimento de diplomas, certificados e títulos estrangeiros.

Impressos e Legislação

Numa estratégia de agilização dos procedimentos administrativos, que permita um melhor e mais rápido atendimento aos utentes, procedemos à disponibilização electrónica dos formulários e impressos para requisição de certidões, de comprovativos ou de candidatura.

A consulta da legislação, em particular, dos documentos internos publicados na UE, é de suma importância para toda a comunidade académica. Antes de qualquer ato, consulte atentamente a LEI / REGULAMENTO correspondente.

Requerimentos Eletrónicos

Como forma de agilizar e simplificar o contacto entre os alunos e a Universidade de Évora, procedemos à disponibilização eletrónica dos “Requerimentos Genéricos” possibilitando assim que os alunos de todos os ciclos de estudos possam fazer on-line requerimentos relacionados com os seus processos académicos.

Para tal, deve aceder ao GESDOC  (Sistema de Gestão Documental da Universidade de Évora), com o seu nome de utilizador e palava-passe habituais (os mesmos dados que utiliza no acesso ao SIIUE, Moodle, etc.), e escolher a opção “Requerimentos - Novo ”.

Newsletter

Os Serviços Académicos editam trimestralmente uma newsletter . Consulte aqui o último número:

Newsletters anteriores:

Contactos

atendimento@sac.uevora.pt

(+351) 266 760 220
 
Edifício de Sto. Agostinho
Rua Duques de Cadaval (junto ao Centro de Emprego)
7000 Évora
   
 

EQUIPA

DIREÇÃO DE SERVIÇOS
Alexandra Fernandes - Diretora de Serviços
Dulce Caldeira - Assessoria
Maria de Lurdes Almodôvar - Secretariado

   
GABINETE DE APOIO AOS SERVIÇOS
Coordenação:  Dulce Caldeira
António Crispim
Teresa Castor
Elsa Bonito
Isabel Rosado
Maria José Pimpão
Sónia Costa

   
GABINETE DE APOIO AO ESTUDANTE
Coordenação: Suzete Rico
Ana Alegria
Maria do Rosário Roque
Bruno Martins [Psicólogo] 

 
DIVISÃO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTÍNUA
Coordenação: João Dias
Dora Pimenta - Gestora Académica (Cursos )
Hugo Sena - Gestor Académico (Cursos )
Manuel Brandão - Gestor Académico (Cursos )
Rui Passão - Gestor Académico (Cursos )   

 
DIVISÃO DE FORMAÇÃO PÓS-GRADUADA
Coordenação: Beatriz Castor  
Ana Dias - Gestora Académica (Cursos )
Maria João Zorro - Gestora Académica (Cursos )
Vitória Guiomar - Gestora Académica (Cursos )     

 
DIVISÃO DE REGISTO E CERTIFICAÇÃO ESCOLAR
Coordenação:  Minervina Carvalho
Alcinda Gil
Anabela Santos
Joaquim Carvalho 
Maria Amélia Frango
Maria Filomena Fernandes   

 
TESOURARIA
Julieta Vinhas
Inês Duarte

Horário de Atendimento

O horário de atendimento presencial nos Serviços Académicos é:

Balcão Único (1.º Ciclo, Mestrado Integrado, 2.º Ciclo, 3.º Ciclo, Pós-Licenciatura e Pós-Graduação) - das 9.30 às 17.30

Gabinete de Acesso ao Ensino Superior e Gabinete de Apoio ao Estudante - das 9.30 às 17.30

   

O horário de atendimento telefónico nos Serviços Académicos é: das 9.30 às 13.30

 

» Atendimento aos alunos pela Diretora dos SAC  às quartas-feiras à tarde – marcação da reunião na semana antecedente para endereço mdac@uevora.pt

Mobilidade

A Mobilidade é uma constante nas novas políticas do Ensino Superior, reporta a um sinónimo de Progresso, inovação, criatividade e competitividade.

O seu objetivo primordial passa pelo alargamento dos horizontes, retirando as fronteiras e barreiras para uma educação global, tanto no contexto Nacional como Internacional, criando uma diversidade cultural, baseada na troca de valores, conhecimentos e experiências, levando à emergência de pessoal altamente qualificado.

Os Serviços de Ciência e Cooperação através do Gabinete de Apoio à Mobilidade (SCC) gerem os Programas de Mobilidade entre outras funções, permitindo a alunos, docentes, diplomados e não docentes, uma abertura de horizontes no contexto educacional e profissional.

 

Contactos

Serviços de Ciência e Cooperação
Gabinete de Apoio à Mobilidade

Informação da Equipa

Edifício Santo Agostinho
Rua Duques de Cadaval, apartado 94, 7002-554 Évora
Email : mobilidade@scc.uevora.pt
Telefone : (+351) 266 760 242

Apoio ao Estudante

E porque ser estudante universitário não se resume à frequência das aulas e à realização de provas de avaliação, a Universidade de Évora encontra-se dotada com um conjunto de estruturas que apoiam o aluno na sua vida académica e sócio cultural.

Gabinete de Apoio ao Estudante

O Gabinete de Apoio ao Estudante, integrado nos Serviços Académicos da Universidade de Évora, tem como missão coordenar e exercer competências específicas no âmbito de projetos e ações que visem a captação de novos alunos, a integração, o acompanhamento e a permanência dos estudantes na Universidade e o acompanhamento dos antigos estudantes, cabendo-lhe designadamente:

  1. Colaborar na promoção e divulgação da oferta formativa da Universidade de Évora.
  2. Informar das condições de acesso ao ensino superior e acompanhar o processo de submissão de candidaturas.
  3. Garantir o acolhimento, integração e permanência dos estudantes na Universidade de Évora:
    • Assegurar a participação ativa no processo de acolhimento dos novos alunos e de estudantes estrangeiros, prestando-lhes todo o apoio e acompanhamento necessário à sua inserção na comunidade académica;
    • Proporcionar orientação e apoio socioeducativo, em especial em áreas de integração e bem-estar social dos estudante4s, apoiando e divulgando atividades culturais e de lazer adequadas aos seus interesses;
    • Proporcionar aconselhamento psicológico ou psicoterapia, orientação para estratégias de estudo, nos métodos de aprendizagem e sucesso escolar, no aconselhamento de carreira e apoio à decisão vocacional;
    • Acompanhar e apurar as causas do incumprimento do pagamento de propinas e do abandono escolar, propondo medidas para mitigação e prevenção dessas situações;
    • Proporcionar medidas para fomentar o sucesso académico, através do estudo, analise e identificação dos casos de insucesso académico no termo de cada semestre e propondo medidas a implementar para acompanhamento dos casos identificados;
    • Assegurar a gestão e divulgação do Programa de Ocupação de Estudantes a Tempo Parcial, garantindo a seleção, recrutamento, monitorização e informação aos alunos;
    • Assegurar as participações e a gestão do seguro escolar, disponibilizando informação e esclarecimentos à Companhia de Seguros, aos alunos e estruturas da Universidade de Évora;
    • Assegurar o atendimento no Balcão do Estudante, no que respeita a questões relacionadas com as áreas de intervenção do Gabinete.
  4. Apoiar os estudantes com necessidades educativas especiais, através da sua inclusão no contexto académico, contribuindo para um ensino de qualidade, bem como da identificação de barreiras físicas, de comunicação e informação que obstem à integração social e escolar destes estudantes.

   

CONTACTOS
   e-mail:  atendimento@sac.uevora.pt   
   telefone:  +351 266 760 220
   Morada:  Edifício Santo Agostinho 
   Rua dos Duques de Cadaval 
   7000-883 Évora

ATENDIMENTO
   Presencial:  De Segunda a Sexta das 9h30m às 17h30m
   Telefónico:  De Segunda a Sexta das 09h30m às 13h30m

EQUIPA
   Suzete Isabel Ramos Rico (Coordenadora)
   Ana Luísa dos Santos Atanasio Bagina Alegria
   Maria do Rosário Barbeiro Violante Roque
   Bruno Manuel dos Santos Martins (Psicólogo)

   

VALÊNCIAS:

Provedor do Estudante

A Universidade de Évora tem um Provedor do Estudante, entidade independente e em regime de exclusividade, que tem por função a defesa e a promoção dos direitos e legítimos interesses dos Estudantes.

É designado pelo Conselho Geral e o seu mandato tem a duração de 4 anos.

(Artigo 7.º do Estatutos da Universidade de Évora – Despacho normativo n.º 10/2014, de 5 de agosto)

 

CONTACTOS:

Professor Diogo Figueiredo

Professor Diogo Figueiredo
provedorestudante@uevora.pt

Formulário de contacto

Apoio Social

Os Serviços de Ação Social da Universidade de Évora (SAS) são um organismo de apoio aos estudantes que frequentam a Universidade de Évora, com o objetivo de promover a política de Ação Social Escolar definida no âmbito do Ensino Superior, que lhes permite conceder apoios sociais diretos aos estudantes socialmente desfavorecidos, deslocados ou portadores de deficiência e indiretos a todos os estudantes.

O apoio social direto efetiva-se com a atribuição de bolsas de estudo e auxílios de emergência concedido aos estudantes que não disponham de um nível mínimo adequado de recursos financeiros, sendo constituído por uma prestação pecuniária para comparticipação nos encargos com a frequência de um curso ou a realização de um estágio profissional de carácter obrigatório, atribuída a fundo perdido e no respetivo ano letivo.

A atribuição destas bolsas visa promover a igualdade de oportunidades no sucesso escolar.

Os SASUE prestam ainda apoio indireto aos alunos da Universidade de Évora através do acesso ao serviço de alojamento, ao serviço de alimentação, serviços de saúde e serviços de lavandaria.

Alimentação

Uma das preocupações dos Serviços de Ação Social no âmbito da alimentação é a de fomentar, quer a qualidade, quer a diversidade, na oferta apresentada aos estudantes. Assim, têm sido vários os esforços desenvolvidos neste âmbito. Os SASUE são apoiados por uma empresa de Qualidade Alimentar, que elabora criteriosamente as ementas, garante a qualidade dos géneros utilizados e o cumprimento da legislação de HACCP tendo em vista a futura certificação de qualidade do Refeitório.

A oferta alimentar inclui, para além das 3 opções do Refeitório Verney (prato principal, dieta e opção vegetariana), o prato do dia do Snack-Bar Verney, toda a oferta do Bar Verney e também a ementa do Restaurante Cozinha do Cardeal, no Colégio Espírito Santo. Com o objetivo de em cada momento se saber as ementas em cada unidade, as mesmas são disponibilizadas on-line    e nas plataformas móveis .

A Universidade de Évora dispõe ainda de outras unidades de alimentação que se encontram concessionadas e que para além do serviço de bar oferecem um serviço de refeições sociais e outras: Bar e Refeitório da Mitra, Bar Escola Superior de Enfermagem, Bar do Colégio dos Leões, Bar do Colégio Pedro da Fonseca, Bar do Colégio Mateus d’Aranda.

A aquisição das senhas de refeição poderá ser efetuada em máquinas próprias para o efeito que se localizam no Colégio do Espírito Santo, no Colégio Luís Verney, no Colégio Pedro da Fonseca, no Colégio dos Leões e no Refeitório da Mitra.

Alojamento

Alojamento em Residências Universitárias

As residências universitárias dos Serviços de Ação Social da Universidade de Évora destinam-se a alojamento de estudantes matriculados no ensino superior que frequentam a Universidade de Évora, tendo como prioridade no acesso ao alojamento os alunos bolseiros dos SASUE.

As residências universitárias devem proporcionar aos estudantes alojados condições de estudo e bem estar para facilitar a integração no meio académico e com vista ao seu sucesso escolar.

No âmbito de protocolos existentes nomeadamente no Programa de Mobilidade de Estudante, são reservado o número de camas indispensáveis para os respectivos estudantes estrangeiros.

A Divisão de alojamento reúne 7 residências universitárias com a capacidade para acondicionar 528 estudantes.

As várias residências encontram-se dispersas pela cidade, todas elas têm acesso fácil e relativamente rápido aos edifícios que compõem a universidade.

Todas as residências universitárias dispõem de salas de estudo, convívio e cozinhas devidamente equipadas, roupa de cama e atoalhados e acesso a rede wireless , serviços como limpeza de cozinhas e espaços comuns, lavandaria geral. 

Alojamento Privado

Uma vez que o número de vagas nas residências universitárias é limitado, existe a possibilidade de arrendar um quarto numa casa de família, ou um apartamento/casa mobilada que o estudante poderá compartilhar com colegas. O preço varia, de acordo com o número de quartos, localização e diversas condições de arrendamento.
A procura deste tipo de alojamento dependerá exclusivamente do estudante. De forma a facilitar essa procura, a Associação Académica da Universidade de Évora  faculta uma lista de alojamentos disponíveis.

Ofertas de alojamentos podem também ser consultadas no jornal online da Universidade de Évora, em Classificados .

Conhecer e Viver a UÉ

A Universidade de Évora é uma instituição de ensino superior público universitário, cujas origens remontam a 1559. Tendo sido encerrada no século XVIII, a Universidade reabre novamente em 1973. Atualmente está organizada em departamentos, agrupados em escolas, relacionadas com domínios científicos específicos:

  • Escola de Artes
  • Escola de Ciências e Tecnologia
  • Escola de Ciências Sociais
  • Escola Superior de Enfermagem São João de Deus

Integrado na própria cidade, o campus universitário  compreende um conjunto de edifícios de grande valor patrimonial que testemunham diferentes períodos históricos. Fora da cidade, a Universidade estende-se ao Núcleo da Mitra, a 12 Km. Existem ainda duas herdades experimentais e várias unidades espalhadas por diferentes cidades do sul de Portugal, onde são desenvolvidas atividades de ensino e investigação.

A Universidade tem cerca de 5376 alunos inscritos em formação inicial, 2964 de Mestrado, 185 de Pós-graduação e de Pós-licenciatura e 870 de Doutoramento, aqui exercem funções 670 docentes (cerca de 70% são doutorados) e 401 funcionários não docentes.

O Dia da Universidade  é o dia 1 de novembro , retomando a tradição que remonta a 1559, ano da Fundação da Universidade de Évora. Esta data é tradicionalmente aproveitada para a cerimónia de abertura solene das aulas do ano letivo em que ocorre.

Transporte Percurso Évora-Mitra-Évora

Horário / circuito

O horário de transporte de passageiros para o percurso Évora-Mitra-Évora (circuito em anexo) é o seguinte:
 
08:30 – Évora-Mitra
13:05 – Mitra-Évora
14:00 – Évora-Mitra
18:05 – Mitra-Évora

Portal do Emprego

O Portal do Emprego da Universidade de Évora, integrado na rede internacional de portais de emprego Trabalhando, disponibiliza ofertas de emprego da comunidade "Trabalhando", ofertas exclusivas para membros da Universidade de Évora e inclui diferentes canais de informação, cuja gestão a seguir se determina, que privilegiam a divulgação de outras oportunidades e de atividades promovendo e o encontro entre a oferta e a procura de emprego, a Universidade, os seus diplomados e as empresas (entidades empregadoras).